Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos Agridoces

"Enfim, bonito e estranho, desconfio que bonito porque estranho"

Desabafos Agridoces

"Enfim, bonito e estranho, desconfio que bonito porque estranho"

Sobre o senso de superioridade...

29c7xbq.jpg

 

Outro dia vi esta notícia curiosa: tribunal de Nova Iorque analisa se chimpanzés presos devem ser considerados pessoas. Basicamente há quatro símios a viver em cativeiro no estado de Nova Iorque e o tribunal tem de decidir se eles devem ser considerados pessoas legais e como tal ter direito á liberdade. A ideia partiu de uma organização pelos direitos dos não humanos que pretende que os animais sejam colocados num santuário onde possam viver em paz. Fiquei a pensar nisto e com franqueza parece-me muito ridículo. Não pelos motivos óbvios - símios serem considerados pessoas, o horror! Mas pelo simples facto de se perder tempo a discutir se um ser vivo deve ter ou não direito á liberdade...Porque não tiram logo os animais das condições em que estão? Quando escrevi aquele post sobre o feminismo fiz de questão de ressalvar que todos, mulheres e homens, devem ter direito a uma vida digna. Esqueci-me de dizer que também os não humanos têm direito a isso - se não puderem viver em liberdade nos sítios em que a natureza os destino, porque os racionais já destruíram esses lugares, ao menos que possam viver num sitio seguro com condições. Percebo a ideia da organização, claro, mas não deixa de ser triste que se tenha de ir a tribunal provar que os animais têm sentimentos...

 

Um dos problema do ser humano, de nós todos, é o senso de superioridade que se manifesta a vários níveis. Achamos sempre que somos superiores aos nossos semelhantes porque temos três telemóveis e o outro só tem um, ou porque andámos na faculdade e o outro só tem a primária...Ou simplesmente achamos que as nossas escolhas são as melhores e desprezamos quem prefere outros rumos. Eu sou superior porque penso assim, porque me visto assado, porque faço isto e estou absolutamente certo. O passo seguinte, porque ninguém é uma ilha, é ir procurar outras pessoas que também pensem ou façam x e y. A internet, que devia ser um espaço de abertura, está cheio disto - grupos fechados e que se tornam até agressivos. Também temos tendência a nos achar superiores enquanto colectivo - já não somos nós enquanto indivíduos, mas nós enquanto nação, território ou raça. Há pouco tempo li um livro do Eça, um conjunto de crónicas que ele escreveu em Londres, e dizia numa delas com o seu sarcasmos habitual que nos achamos no direito de escravizar outros povos só porque eles não sabem construir pianos ou escrever óperas cómicas. Somos tão apegados aos nossos computadores e foguetões que ficamos perplexos aos descobrir que há pessoas no mundo que vivem sem isso.

 

E ás vezes achamos que temos mesmo o direito de destruir quem não partilha das nossas ideias...É relativamente simples: basta alguém com o mínimo de carisma em cima de um palco a debitar umas larachas. Ao contrario do amor que precisa de ser cultivado e isso, o ódio só precisa de um pequeno rastilho para se espalhar mais rápido que o ebola. Não é um acontecimento datado no tempo, está sempre a suceder. A um nível mais vasto o ser humano acha-se superior ás demais formas de vida no planeta e por isso usa e abusa dos recursos. Ficamos reconfortados ao pensar que os animais não têm sentimentos ou raciocínio complexo - um touro é uma simples besta porque não havíamos nós de o espetar? Estar um tribunal a decidir se os animais devem ou não ser libertados, não passa de mais uma prova em como nos consideramos superiores a tudo o resto. Claro que ganharíamos mais se vivêssemos em comunhão com outros seres vivos, animais e plantas, mas...O mais perigoso é talvez aquela ideia: são apenas quatro macacos - é apenas um cão, apenas uma mulher numa terrinha, apenas uma escola, apenas um milhão de pessoas. É como naquele poema - um dia levaram o meu vizinho e eu não me importei. Então levaram-me a mim. Espero que tenham conseguido libertar os chimpanzés...

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Sara 29.10.2014

    O livro chama-se cartas de Inglaterra, é um pequeno conjunto de crónicas que ele escreveu enquanto esteve em Londres como cônsul em 1877...Além da crónica da qual retirei esse excerto, tem outra em que fala do anti-semitismo e da intolerância. Muito bom.

    Não me importo nada :) Face é coisa que não tenho, nem eu nem o blog...Qualquer dia tenho de aderir, mas primeiro tenho de ler o facebook for dummies...lol
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Quem Escreve Aqui

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Avisos

    As opiniões sobre livros e afins podem conter spoilers. Comentários insultuosos serão apagados. Este blog não adopta o novo acordo ortográfico.

    Calendário

    Outubro 2014

    D S T Q Q S S
    1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031

    Sumo que já se bebeu

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D

    A Ler...

    Algo especial a dizer?

    subscrever feeds