Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos Agridoces

"Enfim, bonito e estranho, desconfio que bonito porque estranho"

Desabafos Agridoces

"Enfim, bonito e estranho, desconfio que bonito porque estranho"

Queens of Chaos

Em a Arte de Pedir da Amanda Palmer há uma cena hilária em que ela está numa farmácia e grita bem alto para o Neil que está num outro corredor da loja, literalmente: querido, descobri onde estão os preservativos e os pensos!! E toda a gente à volta ficou a saber também. Ela admite que foi um bocado embaraçoso ("Meu bem, disse ele, você é humana afinal de contas. Ficou vermelha. É capaz de ficar sem graça. Eu sentia o rosto ardendo. Ele tinha razão"). De facto, há uma série de coisas que uma mulher pode dizer e que podem causar convulsões, às vezes frases com não mais de 4-5 palavras. Outro livro, lido mais recentemente, foi a Casa de Bonecas. Gostei muito e agora sempre que achar que tenho de diminuir o tom de um texto vou-me lembrar que o Ibsen publicou isto em 1879.

 

E posso acrescentar mais um item à lista de coisas que me arrepiam de maneira ruim: alturas, lesmas e Torvald Helmer. Pelo modo como concentra em si as características de uma sociedade patriarcal, disfarçando a sua condescendência e tentativas de manipulação sob uma capa de falsa protecção e amor. Esta é uma das razões porque o feminismo é preciso, para aprendermos a nos defender de Torvald Helmer. O mais assustador ainda é pensar quantas pessoas no século XXI  lêem este livro e acham que se trata de uma jóia de marido. A dada altura Nora, o seu amado passarinho, diz-lhe: "Creio que antes de mais nada sou um ser humano, tanto quanto você". Um conceito revolucionário seja em 1879 ou em 2018. A desigualdade de género é um dos pilares sob o qual assenta esta sociedade.

 

Portanto quando vocês dizem que também são seres humanos, muitas mulheres já devem ter sentido vontade de gritar isto, estão a mexer com algo que está bem enraizado e a reclamar um estatuto que o patriarcado não vai vos dar pois isso implicaria a sua destruição e a destruição das estruturas que se alimentam de todos aqueles que não nasceram dentro do grupo privilegiado. Entendermos isto é o princípio de tudo, por isso se faz tanto esforço para que não cheguemos a essa conclusão. O que acontece quando descobrimos que não somos coisas? Vamos perceber o que está mal à nossa volta? Vamos protestar? Reclamar direitos? 

 

Não é por acaso que uma definição menos académica de feminismo é: teoria que acredita que as mulheres são seres humanos. Lembrem-se disto cada vez que vos disserem que igualdade é bom e tal, mas feminismo nem pensar. Esta não é a única coisa que podem dizer passível de provocar confusão. Qualquer referência directa à vossa menstruação, por motivos já falados num post anterior, pior ainda se decidirem mostrar provas visuais. As mulheres desde cedo aprenderam a referir-se ao período por indirectas: tive algumas colegas que segurando uma bolsinha insuspeita diziam que tinham mesmo, mesmo de ir à casa de banho e era comovente quando um professor não levantava drama. O mesmo para a gravidez: a minha expressão preferida é - "viram que Maria estava naquele estado interessante". Mais uma referência que vem a calhar: no Tree Grows In Brooklyn há uma cena em que a protagonista analisa o modo como as mulheres de cada grupo encaram a gravidez. 

 

Ela repara que as irlandesas (católicas e tal e tal) pareciam sempre cheias de vergonha. Quão errado e triste é um sistema que pune as mulheres por estarem prenhes e por não estarem..."Sim, vivo sozinha e gosto", "não, não quero filhos" [também na versão - "não, não gosto muito de crianças", a partir de certa idade é praticamente uma ofensa esta frase, ou "sim, deixei o miúdo com o pai para vir a esta reunião" - o que as pessoas ouvem: vocês tiveram o desplante de deixar o vosso marido a fazer de babysitter e não são suficientemente organizadas, porque se fossem conseguiam fazer as duas coisas o que aliás é vossa obrigação], "é verdade não faço a depilação à três meses"

 

"Não, não estou à procura de ninguém só estou a passar um tempo agradável com as minhas amigas e sim, eu gosto mesmo desta roupa" (fazerem coisas pensando apenas em vocês, como assim?); "sim, eu gosto de sexo" - era de esperar que um tipo ficasse entusiasmado com esta frase, mas uma boa parte parece fugir na direcção oposta ou pelo menos riscar-vos da lista de potencial material para casar. É difícil de entender a lógica deste sistema misógino. E é irónico que os homens sempre se tenham ao longo da História vangloriado das suas revoluções que mudaram o mundo (embora nós nunca tenhamos sido incluídas nessas mudanças) quando uma mulher pode começar uma revolução sem sair do âmbito do seu próprio corpo - e mais ainda se formos muitas a dizer a mesma coisa.

4 comentários

Comentar post

Quem Escreve Aqui

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Avisos

As opiniões sobre livros e afins podem conter spoilers. Comentários agressivos ou insultuosos não serão aprovados. Este blog não adopta o novo acordo ortográfico

Calendário

Março 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Sumo que já se bebeu

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Algo especial a dizer?