Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos Agridoces

"Enfim, bonito e estranho, desconfio que bonito porque estranho"

Desabafos Agridoces

"Enfim, bonito e estranho, desconfio que bonito porque estranho"

Filme - Mad Max: Fury Road

 

Então, finalmente fui ver este filme...Não estava muito interessada, mas depois de ler algumas coisas passei literalmente de isto não interessa nada para eu preciso de ver isto imediatamente. E não fiquei desapontada, nada mesmo. A estória é conhecida: a humanidade deu o berro, anda tudo à luta pelos recursos e o Max anda a vogar pela wasteland com os seus demónios. Entretanto, o seu intento de ficar sozinho é frustrado quando se cruza com um bando de mulheres em fuga lideradas pela Imperatriz Furiosa...Elas estão a fugir de um sítio muito mau dirigido por um psico que as usa como escravas sexuais. Em termos de acção é o que deve ser: super barulhento e super chalupa...Mal se consegue respirar em algumas cenas. O espectador fica ali no limiar entre estou a gostar disto, mas se não acaba vou precisar de uma máscara de oxigénio. A narrativa é, no entanto, bem balanceada com as cenas intensas intercaladas com uns momentos de paz que deixam expectativa para o que vai acontecer a seguir especialmente quando a música começa a aumentar. Dá realmente para sentir o que está a acontecer...E para perceber. Não é tipo aqueles filmes que esbanjam recursos em cenas nonsense, umas explosões e está a andar. Além disso o nível nunca quebra do início ao fim. Duas horas inteirinhas de glorioso caos!

 

Mas não se pense que isto é apenas um filme de acção - há bastantes questões pertinentes nas entrelinhas. Na verdade, acho que não há ali nada que também não aconteça neste mundo como ele é agora. É uma característica das boas distopias. Parecem estranhas quando vistas de longe, mas familiares quando vistas de perto. Obviamente a falta de recursos é uma questão: continuamos a desperdiçar e um dia as coisas vão acabar e vamos nos matar todos uns outros e quem conseguir ter controlo sobre algo é rei. Mas também o desejo que parece afectar os jovens de hoje de serem notados a qualquer custo fazendo coisas ridículas ou indo para outros sítios fazer coisas más, a manipulação mental que os leva a querer morrer por coisas absurdas; e a violência sobre as mulheres que é tratada de forma muito inteligente - não mostram uma única cena de violação: é por detalhes que ficamos a saber a estória das mulheres que acompanham a Furiosa. Em vez de vermos, são elas que contam. Há uma clara intenção de crítica (aquele burocrata grotesco...) e mesmo a obsessão por aquela maquinaria dos infernos tem qualquer coisa de familiar. É entretenimento sim, mas também incomoda. Claro que há alguns buracos na estória mas não achei isso negativo. Aumenta a sensação de sermos atirados ali para dentro.

 

maxresdefault.jpg


As prestações são óptimas, a Charlize é tão badass. O Tom também - não acho que o facto de ele falar pouco seja um problema. O contrário seria estranho...Os dois sentados a contar estórias do antigamente como se fossem pessoas normais. Mas se compensa ele faz as expressões mais hilárias do todo o filme. As personagens secundárias também são óptimas - o Nicholas Hoult como Nux é uma coisa que merece ser vista. De facto, se há coisa que não há aqui são clichés basta ver que a Furiosa e o Max são tratados da mesma maneira. Outras coisas que ficam provadas neste filme: que a igualdade não é uma ameaça mas sim algo que beneficia toda a gente - homens e mulheres podem trabalhar juntos com sucesso - que um tipo não se torna menos homem por aceitar ajuda de uma mulher; que um o filme de acção não deixa de ser super agressivo só por ter mulheres no elenco; que as heroínas não precisam de ser emparelhadas romanticamente com ninguém, valendo por si próprias. Infelizmente, as pessoas não estão habituadas à igualdade. Será que isto é um filme feminista, não será que a Furiosa ocupa espaço demais – ninguém perguntaria isto se ela fosse um homem! A verdade é esta: não somos coisas e a igualdade devia ser algo natural. Por isto tudo já devem ter percebido: é um filme que recomendo, na verdade se puderem ver mais de uma vez melhor porque tem tantos detalhes que é difícil apanha-los todos à primeira.

13 comentários

Comentar post

Quem Escreve Aqui

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Avisos

As opiniões sobre livros e afins podem conter spoilers. Comentários agressivos ou insultuosos não serão aprovados. Este blog não adopta o novo acordo ortográfico

Calendário

Junho 2015

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930

Sumo que já se bebeu

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Algo especial a dizer?