Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Desabafos Agridoces

"Enfim, bonito e estranho, desconfio que bonito porque estranho"

Desabafos Agridoces

"Enfim, bonito e estranho, desconfio que bonito porque estranho"

2015 no feminino

Tal como o ano passado, também este decidi fazer um post com alguns exemplos de mulheres que se destacaram. Digo alguns porque mencionar todos implicaria dividir o post em quatro ou cinco...Para começar temos a fantástica lista do BuzzFeed: 17 badass womem you probably didn´t hear about in 2015. Inclui as 57 raparigas que conseguiram escapar ao Boko Haram e voltar à escola; Tu Youyou, chinesa galardoada com o prémio Nobel da medicina pela criação de um fármaco contra a malária e a primeira unidade de combate à caça furtiva constituída só por mulheres na África do Sul. Também: a Croácia elegeu a sua primeira presidente, na Arábia Saudita as mulheres podem finalmente votar e ser eleitas - 17 já foram. Nos EUA elas passaram a ter acesso a todos os postos militares (e de lá chegou igualmente a notícia de que a cadeia Target decidiu acabar com a distinção de género nos brinquedos), o Canadá tem agora o primeiro governo igualitário do mundo: o governo de Justin Trudeau é composto pelo mesmo número de homens e mulheres (e não só); Svetlana Aleksievich ganhou o Nobel da literatura - são agora 14 as galardoadas com este prémio. O nosso cantinho não fica de fora: temos cientistas (uma das quais recebeu o prémio jovem investigador de 2014); campeãs de padel e até uma "sushi woman" - a primeira por cá. Mais histórias que fui vendo ao longo do ano: 

 

 

Nasima Akter de 18 anos é a primeira surfista do Bangladesh. Aos 7 anos foi expulsa de casa por recusar a se prostituir para ajudar nas despesas - encontrou abrigo numa comunidade de surfistas que lhe ensinaram o desporto e em pouco tempo já estava a bater surfistas mais experientes em competições locais. A sua história invulgar chamou a atenção de um realizador americano que fez um documentário sobre ela chamado The Most Fearless

 

 

Brittney Exline é a mais jovem engenheira afro-americana - aos 19 anos tornou-se bacharel em ciências da computação pela universidade da Pensilvânia (uma das escolas da prestigiada Ivy League) e foi também a mais jovem afro-americana a ser aceite por esta instituição, quando tinha 15 anos.  Além de engenharia, estudou matemática, psicologia e humanidades, fala fluentemente várias línguas e já participou em concursos de beleza

 

 

Quando ouviu a mãe dizer que iria ter de se casar, Sonita Alizadeh de 16 anos fez um vídeo (gravado clandestinamente) em que cantava uma música rap a que chamou "Filhas à venda": uma tentativa desesperada para fugir a uma realidade que afecta milhões de meninas em todo o mundo. O vídeo colocado no Youtube chamou a atenção de uma ONG que lhe conseguiu uma bolsa para estudar na América. Agora pretende continuar a gravar músicas sobre os direitos das mulheres

 

 

 

Georgia Page disputava um jogo de rugby de um campeonato universitário quando um choque com outra jogadora lhe partiu o nariz. Em vez de sair do campo ela continuou a jogar até o árbitro se dar conta do sangue. Voltou no segundo tempo e ajudou a equipa a ganhar. A história tornou-se viral e Page ganhou até o apelido de deusa da guerra. Ela espera que a visibilidade do caso motive outras raparigas para este desporto, infelizmente só os jogos masculinos foram transmitidos pelos canais

 

 

O fotógrafo Asher Svidensky passou meses nas montanhas da Mongólia a documentar o Berkutchy - a arte de criar uma ave de rapina destinada à caça. É praticada há centenas de anos apenas por homens, mas Svidensky encontrou uma das poucas excepções ou mesmo a única: Ashol Pan de 13 anos. Depois de o irmão partir para o exército Ashol ficou com a missão de treinar as águias douradas: o caçador tem de desenvolver uma relação de confiança com a ave que pode chegar aos 12 quilos, numa região onde no Inverno a temperatura chega a ser de - 40 graus durante a noite

 

 

Kiran Gandhi  preparava-se para a sua primeira maratona quando na noite anterior viu que estava com período: face a isso tomou uma decisão arriscada - correr a sangrar livremente sem tampão. Todas as 26,2 milhas da maratona de Londres que acontece em Abril. Kiran, que é baterista da artista M.I.A., quis protestar contra as ideias sexistas que obrigam as mulheres a esconder que estão menstruadas e lhes infligem sentimentos de vergonha e também alertar para o problema de muitas mulheres no mundo que não têm acesso a produtos de higiene

 

Quem Escreve Aqui

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Avisos

As opiniões sobre livros e afins podem conter spoilers. Comentários agressivos ou insultuosos não serão aprovados. Este blog não adopta o novo acordo ortográfico

Calendário

Dezembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Sumo que já se bebeu

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Algo especial a dizer?