Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos Agridoces

"Enfim, bonito e estranho, desconfio que bonito porque estranho"

Desabafos Agridoces

"Enfim, bonito e estranho, desconfio que bonito porque estranho"

Como começar a semana..

 

(Ando desinspirada...Mas com a mesa de cabeceira cheia de bons livros. Também iniciei conversações a fim de obter uma nova estante, ou melhor metade de uma, porque não há espaço para uma inteira no quarto. Pormenores sobre isso em breve. Se calhar devia comprar um kindle)

Sobre as fotos da polémica

Ás vezes acho que sou uma pessoa meio sem vida, tipo não saio ás sextas-feiras para ir ao bar mais in do momento e não sei quê...Houve uma blogger, desculpem não me lembro quem, que disse que era a menos in aqui da zona. Posso juntar-me ao clube? Eu estou sempre out, já se tornou quase uma imagem da marca. Geralmente prefiro ficar a ler ou ver aquele programa das tatuagens maradas...Só que depois lembro-me dessas pessoas que partilham e pesquisam fotos de celebridades nuas que não era suposto ninguém ver e já não me sinto tão mal. Não vi, não sei de quem são e só tenho apanhado bocados da história em blogs e assim. As fotos estavam num serviço de armazenamento e foram roubadas certo? Vejo toda a gente a apontar o dedo ás proprietárias das fotos, mas a questão não me parece tão linear. Em primeiro lugar porque é que toda a gente acha normal que se acedam e partilhem fotos de terceiros? É crime - roubo e invasão de privacidade. Naqueles enquentes que o Sapo coloca na página principal, só para ai 8 por cento das pessoas dizia que a culpa deste imbróglio era de quem roubou. A sério? Isso agora é aceitável? Bem se vê que estou out...

 

O argumento que tenho visto é o de quem se coloca a jeito sujeita-se - suponho que se eu estiver na minha rua ás duas da manhã e for atacada estas pessoas digam a mesma coisa. Isso não são horas de uma rapariga de bem andar na rua! As fotografias não estavam acessíveis a toda a gente certo? Ora...E depois há outra coisa que acho ainda mais preocupante: o nível de voyeurismo a que chegamos. Não é só o roubar, mas também o partilhar, o ver, o comentar. Claro que sempre houve interesse pela vida alheia, mas não com a voracidade de hoje creio eu...Acho que algumas pessoas, elas sim, têm uma vida tão triste que chafurdar na intimidade dos outros dá-lhes uma espécie de satisfação. Têm de ver e saber tudo, e principalmente comentar tudo sem sequer por a massa cinzenta a funcionar. É um fenómeno da internet - estamos cada vez mais rápidos a digitar e cada vez mais lentos a pensar...Mais burrinhos no fundo. Como disse antes, não vi as tais fotos: que me importa que alguém se fotografe? Que me interessa ver isso? Não é o meu pipi, nem nenhum que eu conheça salvo seja. A internet, coloca realmente a nu (óptima expressão para usar neste contexto eu sei) muitas descompensações - o desejo quase mórbido de atenção, de reconhecimento...Nunca estivemos tão sozinhos como hoje. Também não me interessa muito quem casa ou descasa com quem  - o mundo está cheio de histórias tão mais interessantes.

 

Mas o pessoal em geral prefere chafurdar no chiqueiro que são os mexericos - quem fez, quem disse...A quantidade de insultos que são proferidos contra celebridades, alguns nem eu diria a amigos. Qual é necessidade? Atenção, que não sou extremista: a net esta cheia de coisas boas como fotos de gatinhos e acabei de encontrar uma óptima receita de hambúrguers de frango...Ás vezes lá fico a saber o que acontece no mundo do estrelato. Quando vou á praia ou ao cabeleireiro, por exemplo. Mas há limites para a devassa, e se antes isso era feito apenas por um tipo muito especifico de pessoas, agora qualquer um o pode fazer. Não existe privacidade ou respeito. Vejo muita gente a chamar porcas ás envolvidas, mas este voyeurismo selvagem é o quê? O nível de segurança das redes também é uma parte da questão que merece debate, especialmente porque todos nós temos coisas em qualquer lado: fotos, contactos...Quem não tem fotos ridículas no telefone? Não sei muito bem como funciona essa história da cláudia, já me explicaram mas sou um bocado desconfiada. Por acaso, há uns tempos encontrei alguém também num blog que dizia que um dos seus entretenimentos era cuscar as páginas de face dos outros, mesmo de quem nem lhe era próximo. Para quê? Está tudo doido...Basicamente, não me parece que a questão seja assim tão linear ou tão fácil de qualificar. É muito mais preocupante, mas claro é mais fácil apontar simplesmente o dedo antes de tentar ver o resto. Tantos juízes neste mundo...

Passeando Por Sintra...

Na semana passada fui á Quinta da Regaleira em Sintra...Esta já não é a minha primeira visita, é para aí a terceira - adoro e nunca perco a oportunidade de lá ir de novo embora tenda a evitar o Verão por causa da confusão (andava lá muita gente, mesmos nas ruas da vila brotavam por toda a parte. Não consigo deixar de pensar que os de fora apreciam mais isto que nós), acho que dificilmente se encontra um lugar com um ambiente semelhante. Não é tipo Monserrate um pouco mais acima, com os seus jardins e o seu pequeno palácio de influência árabe ou como o Palácio de Queluz, uma Versalhes em miniatura também com uns jardins catitas, é mais uma espécie de Dr. Jekyll and Mr. Hyde...

 

 

Á superfície há os jardins com as estátuas clássicas latinas de musas com as coroas de louros; as fontes sempre a jorrar água fazendo um som calmante e cristalino, um lago com parrecos em cuja superfície os raios de sol desenham formas, ouve-se o canto dos pequenos pássaros e ás vezes surgem borboletas pousadas nas flores que por ser verão estão particularmente exuberantes. É muito agradável...E depois há as passagens subterrâneas onde quase não entra a luz e onde está sempre húmido e fresco, aquela frescura das rochas e onde cheira a não sei quê de primitivo e inicial. É como entrar na intimidade da terra, agora que penso, sentir-lhe o cheiro e as formas - acho que a terra deve ser fêmea em certo sentido. Anyway, a atmosfera numa parte e noutra é notoriamente diferente: seguro em cima, inquietante em baixo. O próprio jardim vai ficando mais bravio á medida que se sobe. Parece que a intenção do arquitecto era representar o céu e o inferno.

 

 

Quando se está no fundo dos poços não é difícil imaginar os rituais que se praticavam ali. É estranho, talvez por isso me agrade tanto lá ir e especialmente meter-me pelos túneis - o que no entanto não é aconselhável sem luz. Não vão querer bater com a cabeça numa saliência rochosa e abrir um lanho...O próprio palácio encaixa-se bem neste ambiente com todos aqueles pináculos e pormenores trabalhados misturando detalhes manuelinos e góticos. O interior é interessante, mas não tanto como o exterior para mim. Tem-se uma boa vista lá de cima.

 

 

Também há toda uma variedade de símbolos por ali espalhados nem todos de maneira óbvia e alguns um bocado suspeitos. É um sitio muito marcado pela esoterismo. Um dos poços, por exemplo, tem exactamente nove patamares, a tal história do Inferno. Há sempre coisas novas para descobrir em cada visita e de qualquer modo se não forem apreciadores de história também não faz mal, não precisam sequer de entrar no palácio. Podem passear só - é um sítio para todos os gostos.

 

 

O preço é acessível, seis euros, dá para chegar a pé, aliás não percebo quem é pode achar boa ideia levar carros para o meio de Sintra, mas ok...Tempo estimado da visita: quatro horas - desta vez, mas não cheguei a ver tudo. Depende da vossa passada e da minúcia da observação. Os monumentos em Sintra, em geral, são todos bastante recomendáveis. Também há os museus, alguns são de graça, e o mar claro. Eu já tinha falado de Queluz e da Pena, e é provável que andem por aqui outras fotos da Regaleira. Desta vez esqueci-me da máquina por isso não ficaram tão boas...Não manda aquela inveja, como se eu tivesse ido para a Polinésia Francesa, mas é uma visita que vale muito a pena.

 

 

Pág. 4/4

Quem Escreve Aqui

Feminista * plus size * comenta uma variedade de assuntos e acha que tem gracinha * interesse particular em livros, História, doces e recentemente em filmes * talento: saber muitas músicas da Taylor Swift de cor * alergia ao pó e a fascistas * Blogger há mais de uma década * às vezes usa vernáculo * toda a gente é bem-vinda, menos se vierem aqui promover ódio e insultar, esses comentários serão eliminados * obrigada pela visita!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Calendário

Setembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930

Sumo que já se bebeu

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
*

A Ler...

*
*

Algo especial a dizer?

*