Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos Agridoces

"Not all girls are made of sugar and spice...Some are made of sarcasm and nothing is fine"

Desabafos Agridoces

"Not all girls are made of sugar and spice...Some are made of sarcasm and nothing is fine"

Eu, Leonor Teles, A Dama Maldita

 

Eu, Leonor Teles, A Dama Maldita de María Pilar Queralt del Hierro  

Edição/reimpressão: 2006

Páginas: 212

Editor: Esfera dos Livros

Preço: 16,66€

 

Conhecida como flor de altura, por aqueles que se perderam nos seus encantos, a dama maldita, por aqueles que viam nela uma intriguista adúltera. María Pilar Queralt del Hierro decide “pegar” na controversa figura de Leonor Teles e contar a sua história desde o seu nascimento em Trás-os-Montes, até à prisão em Valhadolide. Pelo meio, um interessante fresco da sociedade portuguesa em convulsões constantes e do ambiente da corte, uma pequena Sodoma que fervilhava de intrigas.

 

Leonor Teles de Menezes nasceu em 1350. Aos quinze anos casou com João Lourenço da Cunha, senhor de Pombeiro, mas eram voos demasiados baixos para a dama falcão. Um dia ao visitar a sua irmã, na corte, atrai a atenção do rei D. Fernando I, nono rei de Portugal, de cognome o formoso (1345 -1383), com quem casa após a anulação do casamento anterior. Têm vários filhos mas à excepção de D. Beatriz, morrem todos na infância. Apesar das suas tentativas para fazer a filha chegar ao poder esta acaba por ser afastada em favor de D. João, mestre de Avis. Leonor acaba, por ordem D. João I de Castela, presa em Valhadolide, onde falece em 1386.

 

D. Leonor não era bem vista pelo povo devido ao seu anterior casamento e ao relacionamento que manteve com o Conde de Andeiro. Mesmo textos encontrados hoje utilizam vocabulário que denigre a sua imagem. É verdade que era uma mulher calculista, mas este livro não mostra só esse lado. Mostra-nos também uma mulher com uma visão estratégica e inteligência pouco comuns para a época e com uma capacidade de decisão que excedia a do seu marido (que gostava mais de ver a irmã a tomar banho do que governar…). Era uma mulher demasiado forte em tempos demasiado conturbados.

 

Este é um livro que se lê num sopro: não é grande nem está sobrecarregado com datas e factos. O estilo da autora é sóbrio, porém acessível. Eu gostei bastante, até porque não conhecia esta rainha. O único aspecto negativo é que algumas datas na árvore genealógica que abre o livro e nas páginas que apresentam as personagens não estão correctas. No entanto, não me parece que a narrativa seja prejudicada por isto. Licenciada em História Moderna e Contemporânea, María Pilar Queralt del Hierro foi docente de História de Espanha Contemporânea na Faculdade de Ciências da Informação da Universidade Autónoma de Barcelona. É editora, escritora e documentalista especializada em iconografia. Tem editado em Portugal, além da obra citada, Memórias da Rainha Santa e Inês de Castro.

 

6 comentários

Comentar post

Quem Escreve...

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Avisos

As opiniões sobre livros e afins podem conter spoilers. Comentários agressivos ou insultuosos não serão aprovados. Este blog não adopta o novo acordo ortográfico

Calendário

Agosto 2010

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Sumo que já se bebeu

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

A dona lê

Tem Reclamações a Fazer?

Já visitaram o estaminé