Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos Agridoces

"Not all girls are made of sugar and spice...Some are made of sarcasm and nothing is fine"

Desabafos Agridoces

"Not all girls are made of sugar and spice...Some are made of sarcasm and nothing is fine"

Então, e esses preparativos...

 

...para a grande noite? Já tens vestimenta? E companhia para depois da festa e tal e tal? Nadinha. Só quero que me deixem sossegada. Detesto o ano novo: agora tens de ser uma pessoa nova! Como se não fosse mais um dia qualquer. E as promessas que ninguém cumpre? Fico mesmo grumpy nesta altura...Nas outras sou um doce. Pelo menos vocês não correm o risco de chegar aqui e ver isto transformado num baby blog neurótico (eu sei que há alguns bons ok?) ou numa coisa tipo diário da nossa relação. Se bem que eu podia inventar umas personagens para inserir aqui. Ando a pensar nisso desde o ano passado. Quem sabe...Não foi no buffet de peru em Janeiro que a Bridget conheceu o Darcy? Update de leituras: acabei o Dança, Dança, Dança do Murakami. Não é dos melhores, mas lê-se. 

 

Li um livro de terror que alguém falou aqui no blog algures: a humanidade foi quase exterminada por umas entidades que fazem enlouquecer quem olhar para elas. Os sobreviventes não podem olhar para o exterior e só podem sair vendados. Soa estranho, mas é muito bom - despachei-o num dia. Também li O Leopardo, conhecido clássico italiano: gostei bastante. Agora estou a ler outro clássico: A Leste do Paraíso. Foi outra sugestão deixada aqui, se bem me lembro. Ao fim de cem páginas parece-me mais uma sugestão de tortura...Tenho vontade de tirar aquilo pela janela. De resto, e como já contei, não me posso queixar das leituras do ano, muito pelo contrário. As quantidades deixo para quem está à espera de receber um troféu por isso. Como ando com insónias decidi por em dia os episódios do Night vale, série que amo (acabei de ver o livro na amazon e até fiquei com palpitações) e de outras que amo também. Em compensação deixei mesmo de ver TV. Vou tirá-la do quarto em breve. 

 

Os piropos (ou: nós não somos coisas)

Parece que final os piropos foram mesmo criminalizados depois de há uns tempos atrás a medida ter sido enxovalhada e alvo de piadas. Só vi agora e já deu para ler algumas coisas bem interessantes: "as gajas que não gostam é porque são umas ressabiadas"; "a culpa é delas porque andam despidas na rua"; "é uma forma de elogio"; "uma pessoa tem direito a expressar-se, especialmente se é jovem. Coitados são as hormonas"; "afinal quem é que não gosta"...E por aí vai. Não tarda vai aparecer alguma alma a dizer que os seus direitos estão a ser diminuídos. Este tipo de desculpas encontro todos os dias por essa net fora e é incrível como estão enraizadas - não, não é agradável; não, não é um elogio. Uma sugestão: façam esses "elogios" às mulheres da vossa família no próximo jantar de Natal especialmente com as crianças ao pé. Que animação! Então quando fizerem o mesmo à vossa filha de dez ou treze anos...As hormonas não são desculpa. Chamem-me idealista mas acho que somos seres humanos e não bestinhas. E posso começar a usar as minhas hormonas como desculpa ou isso só se aplica aos homens? O assédio sexual não é aceitável sobre nenhuma forma e não pode ser desculpado.

 

Não se pode continuar a aceitar uma cultura que trata seres humanos como coisas. A ideia do "deixa lá querida, de certeza que ele te colocou a mão na cintura só a brincar" não é aceitável. Aliás, chamar a isto elogio é abrir precedentes: afinal, o que é que tem mal? Tenho algumas dúvidas sobre a sua aplicação prática, mas se servir para discutir o problema já não é nada mau. Não posso, em boa verdade, perceber o que se passa na cabeça de alguém que acha isto normal: berrar coisas para um prefeito estranho no meio da rua chamando a atenção de todos sobre essa pessoa ou dirigir-se em termos impróprios a alguém sem que lhe tenha sido dado esse direito. Regrinha básica: respeita se queres ser respeitado. Mais uma: se o teu "direito" implica pisar outros, então não é um direito - a menos que vocês achem que isto é a selva. Não é incrível como a mentalidade de algumas pessoas parece parada algures? Realmente há notícias que trazem o melhor de alguns ao de cima...E sim, o assédio é condenável em ambos os sentidos, só para o caso de alguém se questionar.

2015 no feminino

Tal como o ano passado, também este decidi fazer um post com alguns exemplos de mulheres que se destacaram. Digo alguns porque mencionar todos implicaria dividir o post em quatro ou cinco...Para começar temos a fantástica lista do BuzzFeed: 17 badass womem you probably didn´t hear about in 2015. Inclui as 57 raparigas que conseguiram escapar ao Boko Haram e voltar à escola; Tu Youyou, chinesa galardoada com o prémio Nobel da medicina pela criação de um fármaco contra a malária e a primeira unidade de combate à caça furtiva constituída só por mulheres na África do Sul. Também: a Croácia elegeu a sua primeira presidente, na Arábia Saudita as mulheres podem finalmente votar e ser eleitas - 17 já foram. Nos EUA elas passaram a ter acesso a todos os postos militares (e de lá chegou igualmente a notícia de que a cadeia Target decidiu acabar com a distinção de género nos brinquedos), o Canadá tem agora o primeiro governo igualitário do mundo: o governo de Justin Trudeau é composto pelo mesmo número de homens e mulheres (e não só); Svetlana Aleksievich ganhou o Nobel da literatura - são agora 14 as galardoadas com este prémio. O nosso cantinho não fica de fora: temos cientistas (uma das quais recebeu o prémio jovem investigador de 2014); campeãs de padel e até uma "sushi woman" - a primeira por cá. Mais histórias que fui vendo ao longo do ano: 

 

 

Nasima Akter de 18 anos é a primeira surfista do Bangladesh. Aos 7 anos foi expulsa de casa por recusar a se prostituir para ajudar nas despesas - encontrou abrigo numa comunidade de surfistas que lhe ensinaram o desporto e em pouco tempo já estava a bater surfistas mais experientes em competições locais. A sua história invulgar chamou a atenção de um realizador americano que fez um documentário sobre ela chamado The Most Fearless

 

 

Brittney Exline é a mais jovem engenheira afro-americana - aos 19 anos tornou-se bacharel em ciências da computação pela universidade da Pensilvânia (uma das escolas da prestigiada Ivy League) e foi também a mais jovem afro-americana a ser aceite por esta instituição, quando tinha 15 anos.  Além de engenharia, estudou matemática, psicologia e humanidades, fala fluentemente várias línguas e já participou em concursos de beleza

 

 

Quando ouviu a mãe dizer que iria ter de se casar, Sonita Alizadeh de 16 anos fez um vídeo (gravado clandestinamente) em que cantava uma música rap a que chamou "Filhas à venda": uma tentativa desesperada para fugir a uma realidade que afecta milhões de meninas em todo o mundo. O vídeo colocado no Youtube chamou a atenção de uma ONG que lhe conseguiu uma bolsa para estudar na América. Agora pretende continuar a gravar músicas sobre os direitos das mulheres

 

 

 

Em Boa Companhia

Decidi limpar a minha estante. Estava com um bocado de pó. Ainda dá trabalho, mas é uma coisa que faço com gosto. Adoro ver-me rodeada dos meus livros. Folheá-los, sentir-lhes o peso, especialmente os de capa dura. São tão lindos...Até os meus velhinhos são. Como sempre constatei que alguns que não comprei velhinhos já estão a ficar. Por mais que faça o pó e a humidade não dão tréguas. Aquelas manchas amarelas irritam-me deveras. Nem todos têm, há uns que já tenho há anos e estão impecáveis. Deve ser como as pessoas, uns têm mais sorte do que outros. Não tirei fotos a nada porque achei que já era demasiada babosice estar sempre a mostrar aqui a minha miniatura de biblioteca. Tenho uns trinta por ler, não me lembro de quantos tinha da última vez que contei. Alguns tinha planeado ler este ano, mas não deu - foram os que ficaram para atrás. Há policiais, históricos, três livros da Austen e um do Henry James que amo mas não me apeteceu. Um livro sobre a Oprah e pelo menos dois que mostrei aqui que estava a ler mas não acabei - não acabei o A Oeste Nada de Novo. O começo deu-me vontade de chorar, que fará o resto. Acho que já li pelo menos as primeiras páginas de quase tudo o que tenho em lista de espera - se não estou a conseguir avançar na leitura não insisto, mesmo sabendo que mais tarde me posso arrepender de não ter pegado em alguns desses mais cedo. Nunca faço planos de leituras - já têm começado a circular coisas dessas mas não é o meu género. Gostava de ler mais escritoras e mais coisas diferentes: contos, ensaios, crónicas...Mas não sei que livros virão ter comigo. Será que vou precisar de uma estante nova? Mistério!

Pág. 1/3

Quem Escreve...

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Avisos

As opiniões sobre livros e afins podem conter spoilers. Comentários agressivos ou insultuosos não serão aprovados. Este blog não adopta o novo acordo ortográfico

Calendário

Dezembro 2015

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Sumo que já se bebeu

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

A dona lê

Tem Reclamações a Fazer?

Já visitaram o estaminé

subscrever feeds